3.7.10

pois.

Talvez não devesse estar a pensar nisto agora e o mais certo é as recordações virem ao de cima. Talvez o melhor seria pôr um ponto final a isto tudo, tal e qual ao que me dizem.
Sei que este Verão vai ser fácil, vai passar a correr como sempre e provavelmente não irei sentir-te aqui. Andei a reflectir muito durante estes dias e as tuas palavras começaram a fazer sentido na minha cabeça: «Não é o que quero, é o que tem de ser feito.». Estive a juntar peça a peça e surpreendentemente dei-te razão... Para quê continuar neste ciclo que parece não ter fim quando estamos a fazer-nos mal a nós próprios? É óbvio que o tempo passou e os sentimentos foram diminuindo cada vez mais no lugar de serem constantemente mais intensos. É claro que já não me vês como antes, nem eu te vejo a ti. Até é evidente que um dia cada um seguiria a sua vida e tomaria o seu rumo apropriado.
É certo que jamais conseguiremos construir uma amizade, e o fundamento para esta afirmação é o facto de nunca termos sido amigos e eu ter-te odiado desde o início, mas pelo menos mantenho a esperança de que um dia me consigas ver como uma companheira que há-de estar aqui em tudo e não que me olhes com ódio e raiva como sempre fazes. Juro que neste momento não me irrita nada em ti, literalmente NADA, e sinto algo diferente do normal... A habitual impulgação que se fazia sentir quando chegavas não se manifestou desta vez, nem daquela, nem da outra... E também por estranho que pareça, sinto-me finalmente livre!
Restam-me as memórias e acredito que "recordar é viver" e sim, "tu foste a mais linda história de amor, que um dia me aconteceu".
p.s.: encontrei no outro dia a Sushi e a Natacha e essa foi a razão deste texto, tu sabes ;)

1 comentário:

Isabel disse...

Oh +.+ Aind ame lembro dessa sughi e da natasha, era mochos:P
e fofinhos:P

é assim pois!

A minha foto
"lembra-te de amar tudo o que tens, porque ninguém tem tudo o que ama (...)"

os meus textos

Segue-me ;)